7 de julho de 2009

Partida partida.

Partes... e em te dizendo adeus
não choro nem me desespero
Também não vejo pranto em teus olhos
tão belos e castanhos
No entanto, sigo sabendo que te quero

Partes... e, assim, nos despedindo
nem parece amor, uma heresia.
Pois nós estamos rindo até
como o fariam dois estranhos.
E quem, nos vendo assim, diria

Que te quero tanto e tanto...
E apenas eu sei o quanto chorei
E este pranto, pra faze-lo só meu,
no fundo d'alma o escondo,
porém as vezes tento transcreve-lo em poesia

E assim, porque fingir tão bem
que estamos alegres e felizes?
Ninguém mais sabe o que sentimos:
que é falso esse riso que esboça
e também a frase alegre que te digo!

Um comentário:

  1. tá show o blog! amo o jeitinho como escreve!
    laurinha

    ResponderExcluir